quarta-feira, 28 de março de 2012

Valeu, Eva!


Aff, estou de TPM. Me diz se tem coisa pior? Quando os homens cruéis e insensíveis (desculpe, estou de TPM) dizem que TPM é a Temporada Para Matar, tenho que concordar.

Eita tempinho chato pra viver! Qualquer coisa você já está xingando ou chorando.

Detesto essa época do mês. Faz o nosso cérebro achar que as melhores pessoas são as mais frias que existem, que elas apareceram na sua vida só pra te fazer chorar, seja de raiva ou de tristeza.

Dá vontade de chamar a Eva no bate-papo do facebook e perguntar o que se passava na cabeça dela quando resolveu dar ouvidos a serpente. Só sei que ela não pode falar "Ai, é que eu tava de TPM.". Ah é, ela não tem facebook.

Sei lá, acho que esse lance de não querer ver os outros felizes porque você não é, é a única justificativa viável pra essa história. Valeu Eva, você deu um motivo pros homens nos chamarem de sexo frágil.

E quando você encontrar uma utilidade para a TPM, me avisa. Vou ali comprar lenços de papel pra enxugar as lágrimas, digo, dormir, é vou dormir, snif, sinf.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Doença do riso


Ela andava na rua movimentada. No meio de tantas pessoas iguais, usava coturno, shorts rasgado e uma camisa. Seu cabelo era perfeitamente desajeitado e mal-arrumado.

Suas unhas estavam mal-feitas e roídas. Ouvia música. Olhavam-na como se fosse um ser de outro planeta. Em suas mentes perguntavam-se se estava indo para uma festa, porém era improvável, afinal era 1 da tarde de uma terça-feira de maio. Dia e horário comercial.

Contudo não era essa a maior interrogação e sim o seu sorriso. Nossa, e como ela sorria! Era como se tivesse ganho na loteria. Mais uma vez, pouco provável.

Começa a chover. Enquanto alguns abrem seus guarda-chuvas e outro correm até encontrarem um local coberto ela parou. Começou a rir sozinha e deixou a água escorrer em seu corpo.

Alguém finalmente entendeu seu recado e foi tomar banho de chuva também. De repente, todos se entreolharam e fizeram o mesmo. Era uma grande loucura, mas e daí?

Qual era o recado da menina diferente? Diante de tanta frieza e insensibilidade, o mundo se contagiou e espalha diariamente a cara amarrada. Precisamos lembrar que a razão e a emoção devem estar em equilíbrio, mas às vezes é preciso perder uma das duas e que por mais que as coisas não estejam tão boas, ainda existem motivos para sorrir.

domingo, 25 de março de 2012

GO GO GO! O Diário de Bridget Jones

Hello everybody! Cá estou eu nessa madrugada pra trazer uma super dica de livro pra vocês: O Diário de Bridget Jones. Peguei esse livro emprestado de um amigo da escola (vulgo Luiz Gonzaga, do qual as minas piram #piadainterna) em fevereiro e devorei-o completamente! Mano, é muuuuuito engraçado!!



Escrito na forma de diário, o romance relata um ano na vida de Bridget Jones, uma solteira de trinta e poucos anos, que luta com todas as forças para emagrecer, encontrar um namorado, parar de beber e largar o cigarro. Bridget trabalha em uma editora, mora sozinha, é apaixonada por seu chefe e cultiva o hábito de conversar com amigas que, em torno de uma mesa de bar, sempre têm soluções teóricas para todos os problemas.

Autor(a): Helen Fielding
Editora: Record

Quando peguei emprestado, o Gonzaga disse: Você vai rir muito, ainda mais sendo mulher! Então já abri na expectativa, né? Dito e feito: RI DEMAIS! É muito divertido ver o que se passa na mente de uma mulher de trinta anos que está meio neurótica pelo fato de estar solteira e sofrer pressão por causa disso da família. Não há como não se imaginar daqui a alguns anos na situação de Bridget. Sua insegurança perante a vida (vulgo morrer sozinha e ter o seu corpo encontrado por um cachorro 2 semanas depois) é totalmente compreensível. Se o final fosse diferente, eu ia ficar mega triste, mas foi dahora :-)



O livro também virou filme! Não assisti, mas é muito bom por sinal, já que até teve indicação pro Oscar, Globo de Ouro e uma porrada de outros prêmios. Nele, Bridget é interpretada por Renée Zellweger.


Curtiram? Quem já leu ou assistiu? Alguma dica de leitura ou filme? Comentem!
Por hoje é só. Beijoo ;*

sábado, 24 de março de 2012

Mudanças


Tão assustadoras para a maioria. A mudanças vêm e mesmo sendo boas, a maior parte das pessoas as temem.

Por quê? Bem, porque mesmo elas vindo para nos ajudar temos medo de sair da nossa zona de conforto. As boas mudanças vêm para limpar as lágrimas dos nossos olhos e acabar com nossa dor e sofrimento, entretanto nossa natureza medrosa e preguiçosa faz com que elas fiquem cada vez mais distantes, já que resolvemos fugir. Isso acontece do mínimo aos extremos, desde um corte de cabelo inovador até uma mudança de casa.

Não sei o porquê, mas nem sempre ajo dessa maneira. Claro que existem certas situações que não há como evitar, afinal sou feita de carne e osso e tenho um coração que bate.

Muitas mudanças aconteceram na minha vida de uns tempos pra cá. Algumas boas, outras ruins e outras mais ou menos. Só que a cada dia eu tenho aprendido e pelo menos tentado enfrentar os meus medos, até mesmo o de mudar.

Eu vivo: Ignacianos por Haiti!

Buenas noches chicos! I'm so sorry por ter passado 834738746374638746387 de dias sem postar. A justificativa? ESCOLA!!! Pois é gaelrinha do mal, ainda estou me adaptando a rotina. O problema é que teve um simulado na semana passada, enfim, acho que vocês entenderam. Os estudos são minha prioridade e a cho que sempre deixei isso bem claro. Entonces, vamos ao assunto do post :-)

Há algumas semanas, descobri que minha atual escola participou de um projeto super legal no ano passado para ajudar o Haiti. Como vocês sabem, este pobre país passou por uma tragédia em 2010: sofreu um terremoto que destruiu o pouco que restava naquelas terras. Desde então, o povo haitiano tem recebido muita ajuda, porém infelizmente, além de muita dessa ajuda ser desviada por pessoas frias e sem coração que não têm amor ao próximo falo mesmo!, só isso não é necessário pra reconstruir a vida dessas pessoas.



Foi pensando nisso que a FLACSI (Federação latino-americana de Colégios Jesuítas), da qual a minha escola faz parte, criou a campanhapor Ignacianos por Haiti, que visa melhorar a educação no país através do projeto Fé e Alegria do Haiti, que já trabalha na ilha há 6 anos, investindo em escolas de educação boa e gratuita.

Os dados são alarmantes: 45% da população é analfabeta e 51% da pouplação não terminou nem a educação básica. A economia do país está destroçada. É muito triste, sério :(

Bem, na minha escola, o projeto funcionou da seguinte maneira: cada aluno deveria doar R$2,00 (US$1,00). O projeto está passando por toda a América arrecadando dinheiro. A meta deles é conseguir 300 mil dólares até 2013. No ano passado, eles conseguiram um terço do valor.

Mas Maria, eu não estudo em um colégio de jesuítas, como eu faço pra ajudar??? I NEED HELP HAITI!!!!

Keep calm. Eles aceitam doações de todos através do site www.ignacianosporhaiti.org. Lá vocês também encontram notícias, respostas para outras dúvidas e até mesmo como você pode fazer parte da equipe do projeto. O site é em espanhol, mas o google tradutor está aí meu povo!

Já doou? Então chegou a hora de divulgar loucamente no twitter e no facebook.

Por fim, um vídeo da campanha:


É isso aê meu povo. Espero que vocês tenham gostado e ajudado. Ah, prometo postar mais. Vou aproveitar a minha temporada de conjutivite aqui em casa. Por hoje é só. Beijoo ;*

O sopro da vida


Deus, obrigada. É só isso que tenho a dizer. Comecei a ler um livro essa semana, “O Mundo de Sofia”. Peguei-o emprestado da biblioteca porque preciso aprender tudo sobre filosofia em uma semana se quiser ir bem nessa. No início da história, o professor de filosofia de Sofia faz uma pergunta que me deixou encabulada: “Você não acha a vida uma coisa extraordinária?”.
Repeti essa pergunta mentalmente 734673463874683949384 de vezes. Você não acha vida uma coisa extraordinária? Nós nos apegamos tanto à rotina que fazemos com a vida aquilo que o sistema fez com o amor: transformamo-la em algo banal. Você acorda todos os dias, vai ao banheiro, come e sai de casa atrasado. Pega trânsito, chega ao trabalho, volta do trabalho, um pouco mais de trânsito, come e assiste à novela e o BBB. E faz isso exatamente todos os dias, torcendo pra que chegue logo sexta e você possa fazer algo “diferente”.
Cara, você já se deu conta em como a vida é maravilhosa?! Só o fato de você abrir os olhos a cada manhã, sentir suas pernas se movimentando e seus ouvidos escutando o som do despertador já algo esplêndido. Não estou tentando fazer um discurso moralista do tipo “Existem crianças na África que não têm nada”. Não quero que você se sinta culpado e compre uma passagem pro Vietnã pra ajudar as crianças que não têm um lar. Quero que você abra os olhos pra enxergar as coisas incríveis que existem ao seu redor. Sei que não rola sair ouvindo o som dos pássaros e cantarolar uma música e de repente todos da rua estão dançando.
Só queria que as pessoas dessem um pouco mais de atenção as coisas realmente importantes. Sabe aquele dia que você chegou às 3 da manhã bêbado em casa e sua mãe te esculhambou? Ela quis dizer que te ama e que se importa com você, sua saúde e seu bem-estar. Sabe aquele professor chatérrimo que te deu a maior bronca? Ele realmente quer que você aprenda e que se possa sonhar e realizar muito alto. Valorize cada boa-noite que o porteiro da faculdade te dá.
A frieza da sociedade é o grande problema da humanidade. Se você quiser se tornar diferente e ir contra  o rumo da cachoeira, pare de desprezar. Para com essa história de “só dar valor a quem te ama”. Se as pessoas que “não te amam” são assim, é porque não ensinaram a mar, não foram amadas. Ensine-as, por mais doloroso que seja pra você. Vai dar bons frutos. Agradeça a Deus pelo oxigênio que entra nos seus pulmões e corre por cada uma das suas veias. Ele não te deu o sopro da vida pra que você o desperdiçasse com o ódio e o rancor.
Afinal, a vida não é algo definitivamente, extraordinário?

sexta-feira, 23 de março de 2012

Um monstro chamado eu


Odeio isso. Detesto a inconstância dos seres humanos. Só tratam as pessoas bem quando elas estão fazendo algo que as agradem. Sei que não se deve ficar calado diante de certas situações, mas precisamos medir nossas palavras.

Por que estou escrevendo isso? Porque hoje percebi que sou exatamente aquilo que eu sempre odiei: uma menina fútil. Alguém que acha que se preocupa com o bem-estar dos outros, mas que na verdade é a pessoa mais egoísta da Terra.
Que se preocupa com moda, internet e TV. Apenas com o seu mundinho. Uma preguiçosa que se acha maravilhosa e que pode dar lição de moral em alguém. Uma verdadeira filhinha de papai.
Infelizmente, me tornei hipócrita. Meu único pedido é que as pessoas ao meu redor passem a me tratar mal. Parem de me tratar como se eu fosse a Madre Teresa de Calcutá. E não, não estou sendo irônica. E sei que você pensou que eu estava. Mas enfim, estou tomando coragem pra enfrentar esse monstro que eu me tornei. Eu vou vencer. Ainda vou.