quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Seres extraordinários

Professores asiáticos sendo ~professores asiáticos~
15 de outubro. Talvez essa data não tenha muito significado pra você. Talvez seja apenas o dia de entregar o trabalho na faculdade ou de comprar comida pro gato. Sei lá. Bem, pra mim, essa é uma data muito importante.

Me lembro de quando eu era criança. Todos os anos, no dia seguinte (já que dia 15 é feriado) minha mãe me dava vários presentinhos e me mandava entregar pra todos os meus professores. Eu não entendia porque eu tinha que fazer aquilo. Hoje eu entendo.

É muito difícil dizer palavras bonitas pra uma pessoa que sabe palavras bem mais bonitas que você. É muito difícil dizer um simples "obrigada" perto de tudo que um professor fez e faz por nós. É complicado. Mas vou tentar, com esse reles texto, demonstrar um pouquinho do que eu sinto por essas pessoas.

Terminei a escola ano passado. E caras, não sabia que ia ser uma parada tão tensa. Eu nunca fui tão fofa com tantas pessoas em tão pouco tempo. Eu chorei desesperadamente na sala de aula na frente de pessoas que talvez me considerassem forte pra minha idade. Pensei que no fim de tudo, eu ia morrer de tanta saudade dos meus colegas. Errei. A saudade também ia ser dos meus mestres.

Eu quero agradecer a esses seres humanos maravilhosos que me ensinaram tanto. Obrigada por terem me mostrado o poder e o valor que uma informação tem. Obrigada por serem tão corajosos. Obrigada por levantarem às 5h30 da manhã pra tentar mudar a realidade de pessoas que às vezes nem estão ligando pro que vocês fazem. Obrigada por terem me mostrado o mundo do jeito que ele realmente é. O que vocês me ensinaram é muito maior do que uma nota no boletim ou passar no vestibular.

Agradeço imensamente aos professores de Exatas por terem me mostrado que tudo no Universo tem lógica, tem um sentido; aos professores de Biológicas por (mesmo eu sempre detestando Bio com todas as minhas forças) terem me mostrado a beleza do mundo, que tudo que foi feito tem um objetivo que vai muito além de satisfazer o ser humano, por me mostrarem a perfeição da natureza e como eu posso ajudar a cuidar dela; aos professores de Humanas por me mostrarem que a realidade vai muito além do que eu vejo na minha rua, vai além do meu ego, vai além de mim mesma. E um agradecimento especial aos professores de linguagens por terem me mostrado o poder das palavras.

Infelizmente, eu não tenho todo o poder do mundo. Eu não posso fazer com que as crianças e os jovens entendam o quanto vocês são importantes. Eu não posso aumentar o seu salário. Eu não posso pôr uma coroa na cabeça de vocês. Mas saibam que, com as armas que vocês me deram, dentro e fora da sala de aula, eu posso fazer algo pelo mundo sim. E se esse algo puder dar orgulho a vocês, eu já fico feliz.

Meus pais sempre me ensinaram que podem tirar tudo de mim: dinheiro, casa, amigos, tudo. Menos o conhecimento. Então, fica aqui a minha gratidão por terem me dado um bem tão precioso como esse. Vocês não são apenas fantásticos.

São extraordinários.

"I know that I am leaving my best friend
A friend who taught me right from wrong
and weak from strong
That's a lot to learn

What, what can I give you in return
If you wanted the moon I would try to make a start
but I would rather you let me give my heart
To Sir with love"

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Obrigada SP!

Essa imagem define tudo que eu sinto nesse momento


"Santa Casa acusa governo Alckmin de não repassar verbas federais" - Folha de São Paulo

"Governo de SP gastou mais com publicidade do que com educação e segurança" - Último Segundo

"USP: Alckmin inicia plano para privatizar o Hospital Universitário" - Hora do Povo

"Alckmin deixou de cumprir 44% das promessas de 2010" - Folha de São Paulo

"A segurança pública de Geraldo Alckmin" - USJ

"Volume de água do Sistema Cantareira chega a 5,8% após nova queda" - R7 Notícias

É isso aí amigos. Mais 4 anos de PSDB aqui em São Paulo.

Ontem, quando cheguei em casa, vi uma enxurrada de posts no Facebook de pessoas se perguntando como pode o estado de São Paulo, passando por todos esses problemas citados acima, reeleger o governador. Pela primeira vez em anos, vi um montão de pessoas indignadas com outra coisa que não fosse a Dilma, o PT ou os árbitros nos jogos do Corinthians.

Tá, mas a pergunta que não quer calar: por que São Paulo reelegeu Geraldinho?

É mais óbvio que 2 + 2, minha gente. Mas ainda sim, custa acreditar.

São Paulo é o estado mais rico do Brasil. E, consequentemente, tem a maior e  mais bem consolidada classe média do país. Junte isso a todos os pobres que têm esquerdofobia e odeiam os PeTralhas e aí tã-dã... PSDB mais uma vez. Entendeu?

No início do período eleitoral, decidi procurar na internet se existia algum motivo sensato pra votar no Alckmin. Joguei no Google e, adivinhem: só foram encontrados resultados do tipo "n motivos para NÃO votar em Geraldo Alckmin". Insistente do jeito que sou, fui perguntar aos migos do Facebook. Também não obtive respostas (na verdade, só vieram pessoas pra falar mal dele rs). Pessoalmente, um amigo veio me explicar porque ele ia votar no Geraldinho e eu decidi escutar sem retrucar. Vou resumir os argumentos dele: "É melhor que o PT". E ainda teve coragem de dizer "Eu gosto muito do Suplicy, mas só votaria nele se não fosse do PT". O mais triste disso tudo é saber que a grande maioria das pessoas que votou nele usou isso como justificativa.

Fiquei durante um bom tempo tentando fazer uma analogia com essa história de mimimi voto no PSDB porque é melhor que o PT mimimi. Bem, eu não consegui, mas o @rodriliva lá no Twitter fez isso por mim:

E eu achando que Geraldinho ia ser minha maior preocupação...
E só lembrando: eleições não vivem apenas de PT e PSDB não, viu?
 
Na real, eu não vou ficar aqui criticando o Alckmin. Eu já fiz isso demais durante todo esse tempo. Eu só queria deixar algumas considerações finais aqui.

Se você que está lendo essa birosca votou nesse cara, respeito seu voto, respeito sua opinião. É democracia, né? Mas eu só quero que você saiba que a precariedade do metrô e dos trens por mais 4 anos é culpa sua. A desvalorização e salário baixo dos professores é culpa sua. A falta de verba na Santa Casa é culpa sua. O fato de eu e meus amigos ~favelados~ que estamos nos matando de tanto estudar talvez não entrarmos na USP ano que vem nem nunca é culpa sua. A crise no sistema Cantareira é culpa sua. A falta de escolas estaduais decentes é culpa sua. A privatização do Hospital Universitário é culpa sua. A possibilidade do meu pai, que é preto, pobre, trabalhador e mora na periferia, levar um tiro da PM é culpa sua.

Por isso, deixo aqui os meus mais sinceros votos de agradecimento à elite paulistana e aos esquerdofóbicos por fazerem da vida de todos os trabalhadores do estado de São Paulo um inferno por mais 4 anos. Muito obrigada!

PS.: A primeira imagem foi retirada da página maneiríssima Não Vai Ter Alckmin lá do Facebook :)

sábado, 4 de outubro de 2014

Não achei um título pra definir o que eu sinto


Por que as pessoas se afastam?
Por que as pessoas não entendem?
Por que as pessoas brincam com coisas tão sérias?
Por que ninguém fica feliz com nada?

Por que as pessoas machucam?
Agem como se nada fosse importante
O mundo não me deixa chorar
Porque é coisa de gente fraca

Por que as perguntas não fazem sentido?
É porque ninguém sabe responder
Ninguém tem coragem de responder
Ninguém quer se machucar com as respostas
É mais fácil esconder

O mundo é mesmo um moinho
E de repente, todos aqueles sambas fazem sentido.